FELICIDADE INTERNA DO COOPERATIVISMO (FIC)

Como mensurar o bem-estar e a qualidade de vida dos cooperados, empregados e familiares nas cooperativas? Com o índice da Felicidade Interna do Cooperativismo (FIC). O indicador é um contraponto ao PIB e está sendo estruturado como mais uma estratégia inovadora e pioneira, visando a assegurar qualidade de vida aos cooperados brasileiros.

O superintendente do Sistema OCB, Renato Nobile, que participou da cerimônia de lançamento do programa, explicou que o indicador foi inspirado no índice de Felicidade Interna Bruta (FIB), que se baseia em valores humanistas para dimensionar a felicidade em grupos e comunidades.

“A felicidade é algo que deve ser buscado por nós o tempo todo e o cooperativismo – gerador de emprego, renda, inclusão social, saúde, educação e uma série de outros elementos – se constitui, cada vez mais, uma ferramenta estratégica de gestão e de desenvolvimento. E essa é a missão do cooperativismo: promover o indivíduo e sua comunidade”, declara Renato Nobile.

FELICIDADE – O indicador da Felicidade Interna Bruta (FIB) surgiu no Butão, em 1972, como contraponto ao Produto Interno Bruto (PIB), que considera apenas dados econômicos e financeiros para aferir o sucesso de uma nação.

Já o FIC foi moldado para o sistema cooperativista pelos integrantes do Comitê Nacional de Promoção Social, composto por representantes das unidades estaduais do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop). A intenção do grupo é promover o FIC como ferramenta de bem estar e qualidade de vida aos funcionários e cooperados das cooperativas e seus respectivos familiares.

A ferramenta aborda nove dimensões, são elas: bem estar psicológico, padrão de vida, educação, saúde, meio ambiente, cultura, governança, uso do tempo e vitalidade comunitária.

PÚBLICO-ALVO – O FIC tem como público-alvo as cooperativas de todos os ramos, independente de sua localização.

A Pluricoop está habilitada para implantar o programa FIC nas cooperativas em todo o Brasil.